12/10/2020

Research

Objecto de sucessivas adaptações entre o ciclone de 1941 – que abateu um número considerável de árvores e destruiu muitos caminhos que perduravam desde a original ocupação deste terreno (casa burguesa edificada no século XIX rodeada de uma frondosa e diversificada massa arbórea, maioritariamente autóctone) – e 1987 (quando é integrado no conjunto de parques e jardins portuenses), está a ser alvo de um cuidado especial de valorização tanto na vertente cultural como de lazer. Sendo um espaço patrimonial nas vertentes assinaladas, é também um espaço de história portuense, pois, a partir do seu acervo edificado é possível falar da história dos espaços de onde foram transladadas e abordar cerca de 400 anos de passado da cidade e da região. Do seu espólio também fazem parte esculturas e edifícios de arquitectura contemporânea.